Votação da terceirização ficou para 2017

Numa nova rodada de debates ocorrida, recentemente, na sala da Presidência do Senado, lideranças das centrais sindicais e membros do Ministério Público do Trabalho (MPT) conseguiram uma expressiva vitória no que se refere às discussões da tramitação do projeto de terceirização.

Os senadores Paulo Paim (PT-RS), Jorge Viana (PT-AC) e Renan Calheiros (PMDB-AL) concordaram em adiar a análise do Projeto de Lei da Câmara (PLC 30/2015) devido ao conturbado momento político do País.

No encontro, o senador Paulo Paim – relator da matéria – se comprometeu a apresentar o texto de seu relatório aos colegas senadores, possivelmente em reunião de líderes - ainda sem data marcada, para que os parlamentares tenham conhecimento do texto que foi discutido por ele com os trabalhadores, por mais de um ano, em todos os estados do País e no Distrito Federal.

“Nesta reunião acertamos que o projeto da terceirização, maior preocupação das entidades trabalhistas, continuará em debate. O presidente Renan Calheiros e o senador Jorge Viana também ponderaram sobre o momento delicado vivido pelo País. Queiramos ou não, nos últimos oito meses foram afastados o presidente da Câmara, do Senado e a presidenta da República. Em poucos países do mundo se viu tanta crise em tão pouco tempo. Eles também entenderam que o momento é delicado”, explicou Paim.

Avalie este item
(0 votos)